Aleatoriedades · Força de vontade

Emília Aragão na terra do não

Quem nunca recebeu um não que atire a primeira barra de chocolate em mim, obrigada.

Exatamente, nenhuma barra de chocolate porque eu não posso abusar dessa delícia dos deuses e porque, até hoje na história, não existe um único ser humano que não tenha ouvido um NÃO.

Seja dos pais, dos professores, dos amiguinhos, dos paquerinhas, da família, do vestibular, do concurso, dos entrevistadores de emprego, dos chefes, da conta bancária, da vida.

O não tá aí, minha gente. Em todo lugar. E o não ensina. O não fortalece. O não precisa ser dito algumas vezes pelo próprio bem da pessoa.

MAS O NÃO PODE SER DITO DE FORMAS BABACAS EHEHE. E é sobre isso que quero desabafar.

O pior não de todos é o que vem disfarçado de esperança. De “obrigado, vamos te ligar” “obrigado pela participação” “é, vou pensar”.  Nesses nãos, eu sou experiente.

Queria tentar ser o mais discreta possível e disfarçar as situações porque VAI QUE UMA DESSAS PESSOAS A QUEM ESTOU ME REFERINDO POR MILAGRE ENCONTRA ESSE BLOG. Mas aí seria bom se a pessoa lesse e soubesse como foi babaca comigo 😀 Enfim.

Sabe quando você tá ralando, dando o seu melhor, dando duro para lidar com clientes e tudo mais e seu chefe chega um belo dia por whatsapp e diz “não” e te demite pelo tal aplicativo dizendo que já tem outra pessoa fazendo esse trabalho e caso precise de você novamente entrará em contato (só que nunca mais entra, claro). Sabe quando você faz um serviço muito bom, que chega a emocionar algumas pessoas, mas quem solicitou seu trabalho te diz não falando que “ficou ótimo, depois entro em contato para passar outros serviços” e nunca mais entra em contato. Sabe quando você tenta seu melhor num teste de emprego e a pessoa te diz o não mais cruel dizendo “adorei seu serviço, vou te contratar” mas semanas passam e a pessoa não entra mais em contato, contrata outra pessoa e não te dá nenhuma explicação até o dia de hoje, sete meses depois. Sabe quando você produz sua página, entrega seus cartões e as pessoas dizem “vou curtir com certeza, tô mesmo precisando de umas fotos” e te dizem não, deixando de curtir a página e se fazendo de desentendida depois.

Esses nãos doem mais do que os nãos diretos, tipo quando você entrega um portfólio e a pessoa diz logo “Ah, obrigado por participar mas infelizmente não é isso que estamos procurando agora, boa sorte!” ou um não explicando “Olha, não te contratamos porque precisamos de alguém que seja melhor nisso e nisso, tudo bem?”. Esses nãos diretos e explicados te ajudam a melhorar, você sabe onde errou, ou vê o que realmente as pessoas estão procurando, se você é realmente a pessoa ideal para aquele lugar, vê onde você pode melhorar e correr atrás.

Mas os nãos esperançosos destroem. Primeiro porque geram uma ansiedade infinita, onde você espera uma resposta de volta, onde você ainda se sente qualificado para algo por um tempo, onde você ainda tem esperança, onde você ainda faz planos, onde você se sente capaz e pensa “finalmente chegou minha hora!”. Mas as horas passam e o não direto não chega. Nada chega. Nenhuma resposta. Nenhum oi, nada. E aí você se sente o pior profissional. Um lixo! Pensa coisas “porra eu fui tão ruim que a pessoa deve ter me achado tão patética que não quis nem me dizer não formalmente”. Você fica no chão. A ansiedade vira um pico de melancolia, vira uma bad, te deixa mal consigo mesma. Você pensa que nunca vai se encaixar em lugar nenhum, porque você é a pior profissional do universo. Porque você é tão ruim que nem tem o que eles te dizerem onde melhorar porque nada que você possa fazer vai melhorar seu trabalho horrendo.

Mas aí você finalmente percebe que não é sua culpa. Que essas pessoas, por qualquer motivo que seja, fugiram de te dizer não. Ocupadas, esquecidas, atrapalhadas, covardes. Elas deixaram de dar uma explicação. Te deram uma esperança, te deixaram na mão e fugiram. Quem é o mau profissional aqui?

Por isso decidi ser minha própria chefe. Boas parcelas de medo, cansaço e ansiedade. E muita vontade de crescer, sem falsas esperanças. E olhe, eu sou MUITO BOA EM ME DIZER NÃO. Mas muito boa mesmo. Não preciso de chefe pra me dar bronca porque eu mesma já faço isso. Eu mesma me puxo ao limite. Eu mesma discuto comigo.

“Mas Emy, é muito confortável essa vida de autonomo” “Mas Emy, essa vida de autonomo é insegura e não te dá a segurança de uma renda fixa”

BITCH DO YOU THINK I DON’T KNOW THAT? (tradução = vadia vc não acha que eu sei disso?)

E ISSO TEM ME ENSINADO TANTO, MAS TANTO! Nunca aprendi tanto sobre contabilidade e administração na minha vida! Nunca dei tanto de mim (a ponto de entrar em crises)! NUNCA ENTREI TÃO EM CONTATO COM O MEU POTENCIAL CRIATIVO E NUNCA ME SENTI TÃO INCENTIVADA!

É sim um caminho extremamente árduo. Muito suor. Muitas bads e chocolates. Mas muito gratificante. Também recebo meus nãos aqui. Também cresço aqui. Também tem ansiedade aqui. Também sofro e aprendo muito aqui. E pelo menos aqui, os nãos que eu mesma me dou, tem uma explicação que em seguida me motivam ainda mais. E o alívio de não ter que prestar contas nem me expor para chefes e colegas. Porque isso é aterrorizante para mim.

Há quem diga que escolhi o caminho mais fácil, dentro da zona de conforto, que é uma cilada e não vai me dar dinheiro. Pode até ser. Posso até me arrepender na hora que a necessidade apertar, prestar concurso ou o que for.

Mas nesse momento, para vocês eu digo NÃO.

Se for para trabalhar para doido, que seja para mim mesma. Na minha própria terra de nãos mentalmente desequilibrados, mas que tem me feito crescer anos em meses.

Não tem moral da história. Apenas quis desabafar sobre esses nãos que já ouvi e o quanto eles me prejudicaram. Tô fugindo? Pode ser. Mas realmente nesse momento não tenho energia mental e emocional para chefes e colegas e horários contados. E não é zona de conforto. E não é preguiça. É o NÃO que eu digo para o que me machuca e o SIM que eu digo para o que tem me recuperado a vontade de viver e trabalhar no que amo.

E o não que eu digo para meu próprio cérebro quando ele vem dizendo que sou incompetente.

20130915-190532

Quero tomar banho de chuva.

Ps: APRESENTANDO A CATEGORIA NOVA: FORÇA DE VONTADE CATEGORIA LINDA DE DEUS PORQUE É O QUE MAIS ME FALTA NESSA VIDA E QUALQUER MANIFESTAÇÃO DELA DEVE SER LOUVADA E AGRACIADA AMÉM.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s